segunda-feira, 5 de julho de 2010

O QUE UMA ESCRITORA HOLANDESA FALOU DO BRASIL

LEIA COM BASTANTE ATENÇÃO

Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado.
Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos.

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa.

Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc... Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.

Os dados são da Antropos Consulting:

1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.

2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.

3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.

4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.

5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.

6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.

7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.

8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.

Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.

10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO- 9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.

11. O Brasil é 1º maior mercado de jatos e helicópteros executivos do mundo.

Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?

1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?

2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?

3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?

4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?

5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?

6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?

7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem?

Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando..

É! O Brasil é um país abençoado de fato.
Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.

Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.
Bendita seja, querida pátria chamada
Brasil!!

Divulgue esta mensagem para o máximo de pessoas que você puder. Com essa atitude, talvez não consigamos mudar o modo de pensar de cada brasileiro, mas ao ler estas palavras irá, pelo menos, por alguns momentos, refletir e se orgulhar de ser BRASILEIRO!!!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

CAMPANHA DE ORAÇÃO CONTRA A LEI DA FIFA QUE PROIBE MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA

CAMPANHA DE ORAÇÃO CONTRA A LEI DA FIFA QUE PROIBE MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA

Começamos hj uma campanha de oração para que a lei que proibe MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA dos jogadores evangélicos seja definitivamente anulada. Aliás, como foi anulada a lei de Assuero contra os judeus, por iniciativa de Hamã, o inimigo do povo de Deus.

Ora, sabemos que essa "LEI", nada mais é do que uma manifestação anti-Deus por parte da FIFA, cujo presidente é o francês Blater, um ateu.

É possível anunciar bebidas alcóolicas e outros temas, mas divulgar o nome de Jesus através de uma camiseta ou de um oração de joelhos no meio do campo é PROIBIDO.

Mas, essa copa, como em todas as outras, é um excelente momento para divulgar o nome de Jesus entre as nações, especialmente onde há extrema proibição de se falar no NOME QUE É SOBRE TODOS OS NOMES, o NOME DE JESUS. Eis o exemplo da Coréia do Norte, 1ª adversária do Brasil. O choro do atacante ao cantar o hino coreano evidencia isto.

Oremos tb pelos jogadores e comissão técnica conhecidos como evangélicos (como Kaká, Lúcio, Tafarel, Jorginho e outros), para que o testemunho cristão possa ser evidenciado e o nome de Jesus e seu reino sejam propagados.

Juntemo-nos nessa investida contra as trevas.

Abçs

Pr Cyro Mello

REPASSE ESSE E-MAIL

quarta-feira, 19 de maio de 2010

O viajante

Joelmir Betting merece o OSCAR


O Viajante
texto de Joelmir Beting

Se beber não dirija. Nem governe.
Até aqui, em 40 meses de governo, o presidente Lula já cometeu 102 viagens ao mundo. Ou mais de duas por mês, tal como semana sim, semana não. Sem contar, ora pois, as até aqui, 283 viagens pelo Brasil...
Hoje, dia 15, ele completa 382 dias fora do país desde a posse. E pelo Brasil, no mesmo período, 602 dias fora de Brasília.
Total da itinerância presidencial, caso único no mundo e na História: Exatos 984 dias fora do Palácio, em exatos 1.201 dias de presidência.
Equivale a 81,9% do seu mandato fora do seu gabinete. Esta é a defesa da tese de que ele não sabia e nem sabe de nada do que acontece no Palácio do Planalto.
Governar ou despachar, nem pensar.
A ordem é circular. A qualquer pretexto.
E sendo aqui deselegante, digo que o presidente não é (nem nunca foi) chegado ao batente, ao despacho, ao expediente.
Jamais poderá mourejar no gabinete, dez horas por dia, um simpático mandatário que tem na biografia o nunca ter se sentado à mesa nem para estudar, que dirá para trabalhar.'
SEM CONTAR AS DESPESAS:
FHC, EM 8 ANOS DE GOVERNO, GASTOU R$ 58 MILHÕES, CRITICADOS PELO PT.
LULA ATÉ AGORA, EM MENOS DE 7 ANOS, GASTOU R$ 584 MILHÕES! E SÓ AS IDENTIFICADAS PELA IMPRENSA
E o povão ainda aplaude e vota!

TODOS PRECISAM SABER. VAMOS REPASSAR

BLOG CENSURADO PELO GOVERNO LULA

BLOG CENSURADO PELO GOVERNO LULA

Veja abaixo o texto que foi censurado.

Já tivemos presidentes para todos os gostos, ditatorial, democrático, neo-liberal e até presidente bossa nova.
Mas nunca tivemos um vendedor de ilusão como o atual.
Também nunca tivemos uma propaganda à moda de Goebbels no Brasil como agora.
O lema de Goebbels era: uma mentira repetida várias vezes, se tornará uma verdade.
O povo, no sentido coletivo, vive em um jardim de infância permanente.
Vejamos alguns dados vendidos pelo ilusionista.
O governo atual diz que pagou a divida externa, mas hoje, ela está em 230 bilhões de dólares.
Você sabia ou não quer saber?
A pergunta é: pagou?
Quitou?
Saldou?
Não.
Mas uma mentira repetida várias vezes torna-se verdade.
Pagamos sim, ao FMI, 5 bilhões de dólares, o que portanto mostra apenas quão distante estamos do que é pregado para o povo.
Nossa dívida interna saltou de 650 bilhões de reais em 2003, para 1 trilhão e 600 bilhões de reais hoje, e a nossa arrecadação em 2003 ano da posse do ilusionista que foi de 340 bilhões, em 2008 foi de 1 trilhão e 24 bilhões de reais.
Este ano a arrecadação caiu 1% e, olhem bem, as despesas aumentaram 16, 5%.
Mas esses dados são empurrados para debaixo do tapete.
Enquanto isso os petralhas estão todos de bem com a vida, pois somente com nomeação já foram 108 mil, isso sem contar as 60 mil nomeações para cargos de comissão.
É o aparelhamento do Estado.
Enquanto isso os gastos com infra-esturutra só subiram apenas 1%, já as despesas com os companheiros subiram para mais de 70%.
Como um país pode crescer sem em infra-estrutura, sendo essa inclusive a parte que caberia ao governo?
O PT vai muito bem, os companheiros estão todos muito bem situados, todos, portanto, estão fora da marolinha, mas nos outros estamos sentindo o peso do Estado petista ineficiente, predador e autoritário.
Nas áreas cruciais em que se esperaria a mão forte e intervencionista do governo, ou seja, na saúde, educação e segurança o que temos são desastres e mais desastres, mortandades.
O governo Lula que fala tanto em cotas raciais para a educação, basta dizer que entre as 100 melhores universidades do mundo, o Brasil passa longe.
Já os Estados Unidos (eta capitalismo) possuem 20 universidades que estão entre as 100 melhores.
O Brasil não aparece com nenhuma.
São números.
O governo Lula também desfralda a bandeira da reforma agrária.
O governo anterior fez mais pela reforma agrária que o PT, mas claro, esses números não interessam.
Na verdade não deveriam interessar mesmo.
Basta dizer que reforma agrária é mais falácia do que coisa concreta em beneficio da sociedade.
Se querem saber, em todos os países onde houve reforma agrária, logo em seguida se tornaram países importadores de alimento.
A ex-URSS, Cuba e China são exemplos claros do que estou afirmando.
Mas continuamos com o discurso de reforma agrária.
A URSS quando Stalin coletivizou a terra, passou a ser importadora de alimento e consequentemente a ser um dos responsáveis pelo aumento do preço do alimento no mundo.
Entendam.
Cuba antes da comunização com Fidel, produzia 12 milhões de toneladas de açúcar do mundo, hoje não produz nem 2 milhões.
A Venezuela tão admirada por Lula produzia 4 mil quilos de feijão por hectares, depois da reforma agrária praticada pelo coronel Hugo Chaves só produz 500 kg por hectares.
Mas os socialistas não sabem nem querem saber dessas questões, o trabalho que dá para produzir, para gerar alimentos, isso porque eles tem a sociedade para lhes pagar o salário, as contas e as mordomias, além de dinheiro do contribuinte para colocar comida na sua mesa.
Mas eles não sabem nem querem saber sobre o que é produzir, cultivar, plantar alimentos..
Pois bem, os companheiros acreditam nos milagres da reforma agrária.
Dizem que estão mudando o país.
É para gargalhar..
Agora incrível, e hoje está mais do que comprovado, que com a diminuição dos impostos nos setores de eletrodoméstico fez o comércio e indústria neste setor produzir e vender mais.
O aquecimento na venda de carros também surtiu efeito com a redução de impostos.
O que fica definitivamente comprovado que imposto nesse país é um empecilho ao progresso e ao desenvolvimento.
Mas o discurso dos petistas é outro.
Ou seja, uma mentira repetida várias vezes torna-se verdade.
É o ilusionismo de Lula.
COMO O BLOG FOI AMORDAÇADO JUDICIALMENTE PELO GOVERNO, VAMOS DIVULGÁ-LO!

TSE retira do site da CBN texto de Arnaldo Jabour

O texto de Arnaldo Jabour reflete muito bem o estado de corrupção e miséria do governo atual. Leia e avalie:


A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE.
(ARNALDO JABOR - jornalista )

O que foi que nos aconteceu?
No Brasil, estamos diante de acontecimentos inexplicáveis, ou melhor,'explicáveis' demais.
Toda a verdade já foi descoberta, todos os crimes provados, todas as mentiras percebidas.
Tudo já aconteceu e nada acontece. Os culpados estão catalogados, fichados, e nada rola.
A verdade está na cara, mas a verdade não se impõe. Isto é uma situação inédita na História brasileira!!!!!!!
Claro que a mentira sempre foi a base do sistema político, infiltrada no labirinto das oligarquias, mas nunca a verdade foi tão límpida à nossa frente e, no entanto, tão inútil, impotente, desfigurada!!!!!!!!
Os fatos reais: com a eleição de Lula, uma quadrilha se enfiou no governo e desviou bilhões de dinheiro público para tomar o Estado e ficar no poder 20 anos!!!!
Os culpados são todos conhecidos, tudo está decifrado, os cheques assinados, as contas no estrangeiro, os tapes, as provas irrefutáveis, mas o governo psicopata de Lula nega e ignora tudo !!!!!
Questionado ou flagrado, o psicopata não se responsabiliza por suas ações. Sempre se acha inocente ou vítima do mundo, do qual tem de se vingar. O outro não existe para ele e não sente nem remorso nem vergonha do que faz !!!!!
Mente compulsivamente, acreditando na própria mentira, para conseguir poder. Este governo é psicopata!!! Seus membros riem da verdade, viram-lhe as costas, passam-lhe a mão nas nádegas. A verdade se encolhe, humilhada, num canto. E o pior é que o Lula, amparado em sua imagem de 'povo', consegue transformar a Razão em vilã, as provas contra ele em acusações 'falsas', sua condição de cúmplice e Comandante em 'vítima'!!!!!
E a população ignorante engole tudo.. Como é possível isso?
Simples: o Judiciário paralítico entoca todos os crimes na Fortaleza da lentidão e da impunidade. Só daqui a dois anos serão julgados os indiciados - nos comunica o STF.
Os delitos são esquecidos, empacotados, prescrevem. A Lei protege os crimes e regulamenta a própria desmoralização Jornalistas e formadores de opinião sentem-se inúteis, pois a indignação ficou supérflua. O que dizemos não se escreve, o que escrevemos não se finca, tudo quebra diante do poder da mentira desse governo.
Sei que este é um artigo óbvio, repetitivo, inútil, mas tem de ser escrito...
Está havendo uma desmoralização do pensamento.
Deprimo-me:
Denunciar para quê, se indignar com quê? Fazer o quê?'
A existência dessa estirpe de mentirosos está dissolvendo a nossa língua. Este neocinismo está a desmoralizar as palavras, os raciocínios. A língua portuguesa, os textos nos jornais, nos blogs, na TV, rádio, tudo fica ridículo diante da ditadura do lulo-petismo.
A cada cassado perdoado, a cada negação do óbvio, a cada testemunha, muda, aumenta a sensação de que as idéias não correspondem mais Aos fatos!!!!!
Pior: que os fatos não são nada - só valem as versões, as manipulações.
No último ano, tivemos um único momento de verdade, louca, operística, grotesca, mas maravilhosa, quando o Roberto Jefferson abriu a cortina do país e deixou-nos ver os intestinos de nossa política.
Depois surgiram dois grandes documentos históricos: o relatório da CPI dos Correios e o parecer do procurador-geral da república. São verdades cristalinas, com sol a Pino.
E, no entanto, chegam a ter um sabor quase de 'gafe'.
Lulo-Petistas clamam: 'Como é que a Procuradoria Geral, nomeada pelo Lula, tem o desplante de ser tão clara! Como que o Osmar Serraglio pode ser tão explícito, e como o Delcídio Amaral não mentiu em nome do PT ? Como ousaram ser honestos?'
Sempre que a verdade eclode, reagem.
Quando um juiz condena rápido, é chamado de exibicionista'. Quando apareceu aquela grana toda no Maranhão (lembram, filhinhos?), a família Sarney reagiu ofendida com a falta de 'finesse' do governo de FH, que não teve a delicadeza de avisar que a polícia estava chegando....
Mas agora é diferente.
As palavras estão sendo esvaziadas de sentido. Assim como o stalinismo apagava fotos, reescrevia textos para contestar seus crimes, o governo do Lula está criando uma língua nova, uma neo-língua empobrecedora da ciência política, uma língua esquemática, dualista, maniqueísta, nos preparando para o futuro político simplista que está se consolidando no horizonte.
Toda a complexidade rica do país será transformada em uma massa de palavras de ordem , de preconceitos ideológicos movidos a dualismos e oposições, como tendem a fazer o Populismo e o simplismo.
Lula será eleito por uma oposição mecânica entre ricos e pobres, dividindo o país em 'a favor' do povo e 'contra', recauchutando significados que não dão mais conta da circularidade do mundo atual. Teremos o 'sim' e o 'não', teremos a depressão da razão de um lado e a psicopatia política de outro, teremos a volta da oposição Mundo x Brasil, nacional x internacional e um voluntarismo que legitima o governo de um Lula 2 e um Garotinho depois.
Alguns otimistas dizem: 'Não... este maremoto de mentiras nos dará uma fome de Verdades'!


Não deixe de repassar é o mínimo que podemos fazer diante de tanta corrupção!

LULA FINGE ATENDER CRÍICAS AO PNDH3

Recebi uma mensagem muito atual sobre o PNDH3 do Pr Caramuru e tive a ousadia de repassar. Não se iluda, o adversário não vem contra a Igreja através de leões nos coliseus, mas como ministro de justiça. Veja: O presidente Lula assinou o decreto 7.177, que pretende ser um recuo nas medidas tomadas no PNDH-3. No entanto, não nos iludamos. Com exceção da retirada da política de supressão de símbolos religiosos, onde houve real recuo, o restante não representou grandes mudanças. Passou a tratar o aborto como "tema de saúde pública", o que não muda coisa alguma, pois o ministro José Gomes Temnporão defende o aborto precisamente porque considera que se trata de "política de saúde", ou seja, mudaram-se os termos mas não se mudou a política, até porque, no programa de governo do PT para Dilma Roussef, o abortismo é evidente. A própria pré-candidata disse que "o governo não é contra ou a favor do aborto, trata-se de política pública", ou seja, "tudo como dantes no quartel de Abrantes". Não houve mudança alguma com relação às uniões homoafetivas, de forma que o governo continua a defendê-las como se vê no PNDH-3. Como se não bastasse, com relaçÍ o às questões relacionadas com as invasões de terra, apenas se alterou a redação para que se criem "mecanismos de mediação", ou seja, nova mudança tão somente de termos, mas a ideia predominante continua a mesma. Não se pode limitar o poder jurisdicional com "mecanismos de mediação", ante a cláusula pétrea da garantia constitucional da ação. Com respeito aos órgãos de comunicação, em que pese a supressão da elaboração de um "ranking" das emissoras consoante a política dos direitos humanos, nada se disse a respeito das estapafúrdias medidas da 1ª Confecom inclusive no que respeita à defesa da "diversidade sexual", tema também presente no PNDH-3 e mantido intocado, sem se falar na proibição de sublocação de horários nas emissoras, algo que está explícito no programa de governo do PT. Tem-se, pois, um "fingimento" de mudança que não pode ser aceito pela sociedade civil. Como bem predisse o prof. Felipe de Aquino (O anúncio de Vannuchi é s uficiente?". http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2010/03/19/pndh-o-anuncio-de-vannuchi-e-suficiente/), o "recuo" foi apenas de termos, não de ideologia, de sorte que devemos continuar lutando contra estes mecanismos que negam a própria noção de direitos humanos. Quem quiser ver o novo decreto, é só acessar este link: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7177.htm . Um abraço, Caramuru Afonso Francisco. - São Paulo/SP acesse tb o vídeo sugerido.
video

terça-feira, 30 de março de 2010

Homilia do Padre Paulo Ricardo a respeito do Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3)

Homilia do Padre Paulo Ricardo a respeito do Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3

"Vivemos, em nosso país, momento extremamente delicado. Considerado um dos países de maior liberdade religiosa, o Brasil, definitivamente, está a se inserir num ambiente de perseguição ao Evangelho. O atual governo, cujos dirigentes eram acusados de "inimigos do Evangelho" em 1989, efetivamente resolveram mostrar a sua face ao findar do segundo mandato de Lula, com grandes perspectivas de vitória ante a imensa popularidade do presidente. O Terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos, lançado em 21 de dezembro de 2009, mostra, claramente, que estamos às vésperas da instauração de um regime de intolerância contra o Evangelho e a doutrina cristã. Não demorará e veremos a mesma perseguição contra os servos do Senhor que já ocorre em países da Europa (notadamente Suécia e Reino Unido). Enquanto isso acontece, muitos servos do Senhor estão completamente apáticos, como que anestesiados, permitindo que, pouco a pouco, se instale entre nós uma "ditadura anticristã". Como não temos meios humanos para impedir esta circunstância tão adversa, resta-nos, apenas, orar e pedir ao Senhor que tenha misericórdia de nós e não permita que a Sua Igreja no Brasil venha a se tornar mais uma seção da Igreja perseguida do mundo. Este alerta, que acompanha este e-mail, vindo de um sacerdote da Igreja Romana é um verdadeiro despertador para o povo de Deus para que acorde e se humilhe diante de Deus a fim de que, e ainda é tempo, o Senhor retire esta escura nuvem que ameaça entenebrecer a pregação do Evangelho em nosso país."
e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 2Cr.7.14


QUARTA-FEIRA, 10 DE MARÇO DE 2010
Homilia pronunciada no dia 31/01/2010, pelo Padre Paulo Ricardo* a respeito do Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3). O decreto pretende impor à Nação e aos Brasileiros que nele vivem, políticas desumanas e incompatíveis com o cristianismo. Trata-se de um instrumento para a criação de uma “nomenklatura”, uma casta de dirigentes alinhada com a ideologia governante e que, na prática, exclui os verdadeiros cristãos do aparato de governo.

Meus queridos irmãos e irmãs eu costumo sempre fazer a homilia a respeito do Evangelho, porém, o missal permite que se faça a homilia a respeito de alguma necessidade da comunidade. Será o caso da homilia de hoje.
Nós vivemos em um tempo de graves e sérias mudanças em nosso país. Já no apagar das luzes do ano de 2009 o presidente da república assinou um decreto de um Plano de Desenvolvimento dos Direitos Humanos. O decreto é muito extenso, várias paginas, o português é jurídico, difícil de leitura, mas o que o decreto faz é o seguinte:
Ele cria duas categorias de cidadão, existe agora, a partir do Decreto de Sua Excelência o Presidente, dois tipos de brasileiros, aqueles que podem ser funcionários públicos e não são cristãos, e aqueles que são cristãos e são cidadãos de segunda categoria. Essa é a conseqüência desse decreto.
O decreto quer colocar algemas nos cristãos e tornar o cristianismo nesse país praticamente ilegal.
Porque através desse decreto nenhum funcionário público pode ser contra o aborto, nenhum funcionário público pode ser contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, nenhum funcionário público pode ser contra invasões despropositadas de terra. Nenhum funcionário público pode ser contra a lei e aquilo que é a política do governo de retirar de todos os locais públicos símbolos religiosos.
Este decreto do presidente da república cria cidadãos de 02 (duas) categorias aqueles que poderão ser funcionários públicos, se forem cristãos, serão cristãos com as mãos atadas; cristãos de amarras, algemas, mordaça...
O senhor presidente da república decretou que ninguém pode ser cristão e servir este país. A gravidade desse decreto, a gravidade desta decisão não está minimamente à altura do barulho que nós ouvimos na mídia e do barulho que nós ouvimos feito pelos senhores bispos do Brasil, que graças a Deus estão protestando, mas não estão protestando com a veemência que deveriam protestar.
Estamos vendo a instauração dos pressupostos de uma futura ditadura! Para que haja uma ditadura é necessário que haja uma nomenklatura, ou seja, um grupo de burocratas fidelíssimos que implantem essa mordaça na população, é assim que se faz uma ditadura.
É necessário que a Igreja Católica erga sua voz contra esta infâmia que Clama aos Céus. Se algum padre ou algum bispo pretende ser prudente e guardar o silêncio, eu não guardarei! Porque não quero entrar para a história como os bispos que covardemente não levantaram a voz quando Hitler começou a governar a Alemanha em 1933.
Meus irmãos, Hitler foi eleito democraticamente. E levou 6 (seis) anos para que ele finalmente fizesse um ato de guerra e invadisse a Polônia, durante estes 6 anos enquanto ele ia tomando o poder gradualmente e abolindo a democracia na Alemanha, pouquíssimos foram os bispos valorosos, tementes a Deus, que ergueram a sua voz para protestar contra esse tipo de desmando.
Não estou acusando o senhor Presidente da República de genocídio nazista e nem de ser um outro Hitler. Eu só estou fazendo um paralelo na história e dizendo que é vergonhoso que bispos e padres não estejam à altura do seu povo e de suas ovelhas e levantem a voz quando a falta de respeito pela população brasileira se torna clamorosa, infame, desavergonhada!
94% dos brasileiros são contra o aborto! E, no entanto esta corja de patifes que nos governa quer a todo custo implantar o aborto custe o que custar. Tentaram através de lei no congresso não conseguiram, agora, então, tentam através de decreto, para que então só haja funcionários do governo que se calem, amordaçados, e sejam punidos com atos administrativos aqueles que não seguirem a cafagestagem desta tirania que está abolindo com a democracia no Brasil.
Meus irmãos; é necessário que nós cidadãos e cristãos não fiquemos indiferentes. Eles irão repetir a ladainha de sempre de que a nossa religião é um fato privado e que ninguém deve usar a sua religião para colocar as políticas públicas. O problema é o seguinte, o ateísmo também é uma atitude religiosa, o ateísmo também é uma religião, o ateísmo também é uma forma de se relacionar com o fato religioso. Uma minoria de ateus desavergonhados quer amordaçar a maioria dos cristãos deste país. Eles dizem que ficam ofendidos com a presença de crucifixos nos nossos tribunais, e eu digo que fico ofendido com uma parede vazia no tribunal. Porque uma parede vazia num tribunal é também uma atitude religiosa, porque viver como se Deus não existisse também é uma atitude religiosa, porque, impedir os cristãos deste país de longa tradição cristã, 5 (cinco) séculos de cristianismo, de manifestarem publicamente a sua religião porque um grupelho de ateus imorais não quer ver a nossa piedade e a nossa religião é algo simplesmente inaceitável, é algo diante do qual nós não podemos nos calar.
Como pastor de almas, eu preciso dizer isto. Eu preciso dizer que não irei me calar diante de uma política do governo que quer implantar o aborto custe o que custar. Porque eu não quero carregar na minha consciência a mortandade de milhões de crianças que se seguirá a esta política genocida. Como pastor eu devo erguer a minha voz contra um governo que quer a todo custo equiparar o casamento heterossexual único e indissolúvel a uma união de pessoas do mesmo sexo, isto é uma afronta, isso é um insulto!
Nós não podemos dizer que o ato sexual homossexual tem a mesma dignidade do ato sexual heterossexual, meus irmãos todos nós nascemos de um ato sexual heterossexual, da união de um homem e de uma mulher. Todos nós devemos à santidade e a grandeza do sexo entre um homem e uma mulher a nossa existência. O que é que um homem com homem pode produzir, além de excrementos? O que é que uma mulher e uma mulher podem produzir? Absolutamente nada! A esterilidade destes atos sexuais não pode ser equiparada à grandeza e a fertilidade dos atos que Deus quis e planejou, que é o ato entre um homem e uma mulher. E a Igreja Católica não pode, não deve e se Deus quiser não irá se calar diante desta perversão.
Nós não estamos querendo colocar nenhum homossexual na cadeia, como eles, aliás, querem me colocar na cadeia, e a você também se você abrir o bico. Porque já existe no congresso tramitando uma lei, PL 120 (nota: trata-se do PLC 122/2006), que pretende punir como crime inafiançável qualquer ato de discriminação contra pessoas que advogam o sexo com o mesmo sexo. Eu não quero colocar nenhum homossexual na cadeia, enquanto houver sociedade cristã os homossexuais continuarão tendo o direito civil de ter as relações sexuais que quiserem sem ser ameaçados com a cadeia. Mas por favor, não queiram calar a nossa boca e não queiram nos obrigar a achar tudo isso muito bonito e decente.
Uma coisa é um crime, outra coisa é um pecado. O homossexualismo não é um crime, mas é um pecado! Porque não está no projeto de Deus, porque Deus não o quis. Todo homossexual enquanto os valores cristãos guiarem o nosso país, todo homossexual terá todo o direito de sê-lo, de ser homossexual o quanto quiserem e de fazer os atos sexuais que quiserem, mas não queiram que os elogiemos por isto, não queiram que nós achemos tudo isso muito santo e decente porque a palavra de Deus nos proíbe. Criminalizar esta minha opinião é criminalizar o cristianismo. Este PL 120 (nota: trata-se do PLC 122/2006) está simplesmente pretendendo criminalizar o cristianismo.
Vocês sabem que já está em vigor esta realidade no nosso país, não através de lei, mas através de jurisprudência. Aconteceu em Fortaleza que uma igreja evangélica, quis, pagou, e colocou outdoors na cidade, cartazes com versículos bíblicos e nada mais. Os versículos da Bíblia que dizem que o homossexualismo é um pecado, simplesmente “a frase da bíblia”, a citação, só isso. Um grupo do movimento dos direitos dos homossexuais entrou com uma ação contra esta Igreja e o juiz mandou retirar os cartazes. Vocês sabem o que é isso? Isso significa que o cristianismo no nosso país já é um crime, para alguns juízes já é um crime, para alguns juízes ter a opinião da bíblia é um crime. E assim eles vão instalando esse tipo de aberração no nosso país.
Querem que nós aceitemos o apoio total e irrestrito destes grupos de facínoras que invadem as terras e que tomam conta das áreas produtivas do nosso país para não produzirem absolutamente nada. Este bando de cafajestes chamado MST é o maior latifundiário deste país, entretanto não produzem uma banana. Porque o que querem é destruir simplesmente a nossa sociedade, a eles não interessa minimamente a produção, a eles não interessa minimamente aquilo que seja a ordem, aquilo que seja uma democracia.
Nosso governo que exige de todos nós todo tipo de documento, para sequer comprarmos na farmácia ao lado uma cápsula de aspirina, não exige um documento sequer do MST para despejar milhões de reais nessa organização criminosa. Não sei se os senhores sabem, mas o MST não existe juridicamente, eles não têm sequer um CNPJ, não existe a pessoa jurídica, não existe a firma MST, e mesmo sem, mesmo estando irregulares eles recebem milhões de reais todos os anos, do nosso governo, e o país adormentado, assiste a instauração de uma ditadura, e a perversão da ordem do nosso país.
Nós não podemos permanecer calados diante disso, Clama aos Céus este ato. Que um presidente da república seja irresponsável o suficiente de dizer que assinou este decreto sem ler, em qualquer país civilizado seria suficiente para um impeachment, para que ele já tivesse sido estromesso (Nota: deposto) do palácio do planalto. Que um homem assine um decreto desta enormidade, e diga que nem sequer leu, é de uma cara de pau tão grande, que nós não podemos sequer sonhar com uma coisa dessas. Como, senhor presidente, o senhor não leu, se todas estas cláusulas que o senhor acaba de assinar estava no seu plano de governo quando o senhor se candidatou pela primeira vez em 2002?
Infelizmente o nosso país elege presidentes não pelos seus planos de governo, mas elege presidente pelas propagandas eleitorais. Propaganda aceita tudo, (com) propaganda se faz aquilo que se quer. Infelizmente, infelizmente esta minha homilia não pode ser classificada como propaganda eleitoral para um outro partido. Porque infelizmente os outros possíveis e prováveis candidatos de outros partidos têm o mesmo desgraçado plano de governo.
Nós podemos nas próximas eleições ir votar e eleger, e escolher entre: lúcifer, satanás, belzebu, o diabo e o capeta. Porque tudo será, no final, a mesma coisa. Porque se o Lula defende isso, a Dilma também o defende, o Serra também o defende, e mais todo o resto da corja que quer se candidatar a presidente da república. Não existe partido, não existe partido que numericamente seja representativo, que esteja realmente representando a opinião do povo brasileiro. Infelizmente, infelizmente, os senhores congressistas, infelizmente os cargos que nós temos no executivo, e infelizmente também o judiciário, estão todos pela ocupação de espaço, pela política da ocupação de espaços, estão todos alocados para pessoas revolucionárias, anti-cristãs de esquerda.
Esta é a situação deste país. Esta é a nossa situação. Agora não esperem os métodos de Hitler, porque hoje em dia não se faz mais ditadura com derramamento de sangue, hoje em dia as ditaduras são feitas por revoluções de veludo, como este decreto que nós acabamos de assistir. As revoluções de veludo que vão, lenta e gradualmente, comendo os direitos democráticos sem que sequer as pessoas notem isso. Sequer as pessoas estão notando a demência que é pedir de um funcionário público que ele professe a fé no credo do governo e do partido governante. Isto jamais existiu numa democracia. Nós estamos sendo governados por uma ideologia que tem a sanha do poder. Eles não irão parar por aí. Se nós - nós - não fizermos ouvir a nossa voz infelizmente não existe nenhum movimento organizado para rebater isto tudo. Então o que podemos fazer de concreto? O que podemos fazer agora é abrir os olhos das pessoas para o que está acontecendo.
Para que isto um dia se torne um movimento. Para que isto um dia se torne um movimento de cristãos e não-cristãos, amantes da democracia que queiram deter esta raça de gente, esta raça de mal-feitores que desgraçadamente nos governa. Que Deus tenha piedade do nosso país!
Quero concluir esta homilia, recordando, porém, a providência de Deus, não para que nós fiquemos de braços cruzados não é isso. Mas para que não nos desesperemos. Deus está conosco e se Deus está conosco quem será contra nós? Nós podemos e devemos articular a nossa ação política para que como cidadãos tenhamos direito de existir como cristãos.
Meus irmãos eu não estou fazendo campanha de nenhum partido político, porque infelizmente eu os detesto a todos. Porque todos, todos, sem exceção são cúmplices desta enormidade que nós estamos assistindo. Não estou dizendo votem em fulano, em beltrano e sicrano, eu estou dizendo: Vamos acordar!
Deus está conosco. Deus é por nós. Mas se Deus é por nós, nós precisamos também ser por Deus. Deus está do nosso lado e nos defende. Mas nós também precisamos nos acordar. E realizar atos corajosos de protesto. Espero em Deus nosso Senhor que padres e bispos do nosso país, lideranças leigas, acordem para estes fatos e nós possamos assim, em período breve, organizar marchas pela liberdade. Não a favor de nenhum partido político, marchas pela liberdade simplesmente dizendo que nós não estamos de acordo a que os políticos no congresso nacional simplesmente estejam moucos (Nota: surdos) à voz da população.
Infelizmente do outro lado eles são bem informados, eles tem militância, eles tem constância, eles são aguerridos. Do nosso lado nós não temos militância nenhuma, então não adianta agora querermos conclamar nada. Precisamos primeiro tomar consciência, precisamos primeiro nos inquietar, para que depois, uma vez que haja uma população inquietada, possamos fazer uma manifestação pública, porque se eles não ouvem a voz de Deus e a voz da Moral, pelo menos a voz do voto de milhões de insatisfeitos eles irão ouvir!

* Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior pertence ao clero da Arquidiocese de Cuiabá (Mato Grosso – Brasil) e, desde 1996, é reitor do Seminário Cristo Rei, de Cuiabá.
Nasceu no dia 7 de novembro de 1967 e foi ordenado sacerdote no dia 14 de junho de 1992, pelo Papa João Paulo II. É bacharel em teologia e mestre em direito canônico pela Pontifícia Universidade Gregoriana (Roma). Atualmente, leciona nos cursos de Filosofia e Teologia.
Desde 2002, a Santa Sé o nomeou membro do Conselho Internacional de Catequese (Coincat), da Congregação para o Clero. (Currículo retirado do site do próprio Revdo. Pe, no endereço eletrônico: < http://www.padrepauloricardo.org/site/?page_id=2>).


Transcrição feita na integra pelo senhor Luiz Henrique Dezen Ramos.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Chamado à angústia

Veja o vídeo "Chamado à Angústia, pregado pelo Pr David Wilkerson.

http://www.youtube.com/watch?v=XAYxFvw-7K4

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

AHMADINEJAD NO BRASIL

A vinda ao Brasil do presidente do Irã está prevista para os dias 23-26/11.
Ahmadinejad é um dos principais negadores do Holocausto na atualidade. Ele também não perde uma oportunidade para manifestar seu ódio a Israel e seu desejo de destruir o Estado judeu[1]. Sendo assim, a simpatia do governo brasileiro por ele faz-nos lembrar do ditado: "Dize-me com quem andas e te direi quem és''.
Algumas informações sobre o Irã[2]: desde a posse de Ahmadinejad em 2005, a situação dos direitos humanos no país piorou dramaticamente (com elevado número de execuções, muitas delas por apedrejamento ou enforcamento públicos). Um esboço de código penal estipula a pena de morte por apostasia (isto é, para quem deixar o islã). Os cristãos[3] e outras minorias religiosas têm sofrido severas restrições e perseguições. As autoridades iranianas também suprimem a liberdade de expressão e opinião, prendendo jornalistas, controlando publicações e a internet, além das atividades acadêmicas.
O Irã é promotor do terrorismo mundial e financiador do Hezb'Allah (o Partido de Alá, no Líbano) e do Hamas (na Faixa de Gaza). Essas duas milícias islâmicas radicais têm atacado Israel a mando do Irã e cometido inúmeras matanças de civis. Sua ação, porém, não se limita ao Oriente Médio: a Argentina acusou formalmente o Irã pelos violentos atentados contra instituições judaicas em Buenos Aires (em 1992 e 1994). Na América do Sul, a atuação iraniana é crescente, principalmente através da aliança com Hugo Chávez e Evo Morales.
O Irã também está em fase adiantada de desenvolvimento de tecnologia nuclear e de mísseis balísticos, representando uma séria ameaça para todo o Oriente Médio e o mundo. Dessa forma, o crescente armamento e a influência iraniana despertam fortes temores entre as próprias nações muçulmanas (principalmente na Arábia Saudita, no Egito e em alguns países do Golfo). Apesar da aparente unidade islâmica, há profundas desconfianças e conflitos entre muitos países árabes (dos quais, a maioria é sunita) e os iranianos xiitas (que são persas, e não árabes).
Quanto a Israel, as afirmações e provocações do presidente e de outros líderes iranianos são bem conhecidas: "Israel deve ser riscado do mapa...'', "Israel está destinado à destruição...'', "Israel é um tumor canceroso...''[1]. Sua última investida ocorreu na abertura da vergonhosa conferência da ONU (em Genebra) que, supostamente, deveria ser anti-racista. Como foi manipulada para atacar Israel, vários países[4] negaram-se a participar dela desde o princípio. Ironicamente, apesar do seu histórico, o presidente iraniano foi um dos principais oradores. Quando começou sua diatribe contra Israel e negando o Holocausto – justamente na véspera do Yom HaShoah, o dia em que se lembra o assassinato de 6 milhões de judeus no tempo do nazismo! – os delegados da União Européia se retiraram em protesto. Ficaram os representantes dos países que parecem concordar com Ahmadinejad, entre eles os brasileiros, ouvindo até o final o discurso de ódio aos judeus[5]. Assim, mais uma vez, o Brasil escolheu as más companhias.
É importante lembrar que o Irã (a Pérsia) tem grande destaque na Bíblia (veja os livros dos profetas Daniel, Ageu, Esdras, Neemias e de Ester). A Pérsia foi um dos impérios da visão da grande estátua do rei Nabucodonosor – interpretada pelo profeta Daniel, essa imagem representa todo o desenrolar da história das nações, até o estabelecimento do reino de Deus (Daniel 2, veja o Apocalipse). Os persas também são citados como aliados de Gogue na invasão de Israel "nos últimos dias'' (Ezequiel 38.5). Portanto, as profecias bíblicas revelam o papel do Irã no cenário mundial e nos permitem entender o que realmente há por trás do comportamento atual desse país. Ao estreitar seus laços com ele – enquanto se distancia de Israel – o governo brasileiro se expõe ao juízo anunciado em Gênesis 12.3: "...amaldiçoarei os que te amaldiçoarem'' .


A estátua do sonho de Nabucodonosor - veja Daniel 2.

As pessoas e os países podem escolher com quem se relacionar e andar – mas as más companhias revelam a inclinação de quem as procura e, quando não há afastamento delas, o final sempre é trágico. Você gostaria que seus filhos andassem com quem tem um “currículo” semelhante ao do presidente iraniano? Sem dúvida, a má escolha dessa amizade é extremamente preocupante. (Ingo Haake – http://www.Beth-Shalom.com.br)
Notas:
1. O Irã promoveu as conferências “Um Mundo sem Sionismo” (em outubro de 2005) e de questionamento do Holocausto (em dezembro de 2006, com a presença de destacados revisionistas e anti-semitas de todo o mundo). Há uma longa lista de declarações anti-israelenses dos líderes iranianos e, especialmente, de Ahmadinejad, em encontros e eventos: http://en.wikipedia.org/wiki/Mahmoud_Ahmadinejad_and_Israel
2. Antes que alguém se ofenda, achando que se trata de “acusações” contra o “povo iraniano”: nenhuma delas se refere aos iranianos como pessoas, mas ao regime que os governa, do qual eles são as primeiras vítimas. Além disso, trata-se de fatos amplamente noticiados e conhecidos.
3. A Open Doors USA (Portas Abertas) relata: "A partir de 2008 houve forte endurecimento com as igrejas que se reúnem nos lares. Mais de 50 cristãos foram presos por sua fé numa das sociedades mais repressivas do mundo. Um casal cristão morreu após ser interrogado por funcionários governamentais... Apenas as igrejas armênias e assírias podem instruir seus conterrâneos em sua própria língua, mas é proibido ensinar pessoas de origem islâmica (que falam farsi). Muitos cultos são monitorados pela polícia secreta... Por pressão das autoridades, os cristãos são oprimidos e têm dificuldades em achar empregos e mantê-los logo que se descobre sua religião". (extraído de http://www.opendoorsusa.org/UserFiles/File/Open%20Doors%20World%20Watch%20List%202009.pdf)
4. Israel, EUA, Austrália, Alemanha, Canadá, Itália, Suécia, Nova Zelândia e Polônia.
5. As notas posteriores de crítica do discurso de Ahmadinejad não parecem muito convincentes, pois não era difícil prever que na conferência, manipulada para servir de plataforma de condenação de Israel, só poderia haver esse tipo de manifestação.

ACESSE O LINK ABAIXO E VAMOS PARTICIPAR


http://www.beth-shalom.com.br/artigos/nao_ahmadinejad.html

veja o vídeo de protesto na Europa pela presença deo substituto d Hitler:
http://www.youtube.com/watch?v=FA6DCrBRrZI&feature=player_embedded#

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Irmã Doris descansa no Senhor

Registro, com grandíssimo pesar, o falecimento da nossa querida missionária Ruth Doris Lemos, mais conhecida entre os ibadianos simplesmente como irmã Doris.
Ela foi uma das pessoas que mais influenciou meu ministério e minha vocação missionária. Tenho certeza que a maioria dos ibadianos, senão quase todos, dirão a mesma coisa.
Sempre firme ao lado do seu esposo, o nosso inestimável irmão Kolenda, esse casal é prova de que o Senhor ainda chama seus servos para obras específicas.
Meu desejo e oração é que o nosso amado Marc Lemos continue seguindo as pisadas de seus pais nessa espinhosa caminha de educador cristão.
Marc Lemos conte com nosso apoio e orações.

terça-feira, 30 de junho de 2009

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA CGADB

Eis a nota de esclarecimento publicada no “Mensageiro da Paz” pelo presidente da CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa, face às acusações feitas pelo candidato derrotado nas últimas eleições à presidência da Convenção Geral:

Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Presidente da CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADB, no exercício de suas atribuições estatutárias;
Considerando o ofensivo pronunciamento do membro SAMUEL CÂMARA, levado ao ar em programa televisivo no dia 13 de junho de 2009, oportunidade em que suscitou inverídicas suspeitas sobre a lisura das assembleias gerais da CGADB e respectivos procedimentos eleitorais, que ensejaram a reforma dos Estatutos e a reeleição de Membros da Mesa Diretora, estendendo seus ataques à atual e às anteriores administrações da entidade;
Considerando que o pronunciamento do membro SAMUEL CÂMARA denigre, direta ou indiretamente, a imagem, a honra e a dignidade da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil – CGADB, assim como de seus Dirigentes e todos os Membros Convencionais;
Considerando que, de acordo com as normas estatutárias, cabe ao Presidente da Mesa Diretora o direito de defesa, em Juízo e fora dele, da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil – CGADB;
AO BEM DA VERDADE e por meio do Mensageiro da Paz, vem prestar os seguintes esclarecimentos, a todos quantos possam interessar:

REFORMA DOS ESTATUTOS

1) As reformas do Estatuto Social da CGADB, algumas delas por proposta do próprio convencional SAMUEL CÂMARA, se deram por imperiosa necessidade de sua adequação aos ditames do Novo Código Civil (Lei nº 10406/2002) assim como à realidade da própria CGADB, sendo a penúltima realizada na cidade Maceió-AL. A última reforma (AGO de Porto Alegre-RS), foi efetivada principalmente para permitir a eleição eletrônica, que foi inaugurada com sucesso na AGO de Vitória, Estado do Espírito Santo, mediante a utilização de urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral daquele acolhedor Estado, sendo, inegavelmente, uma grande vitória e profundo avanço, dado o expressivo número de eleitores que participam das AGOs.

DO PROCEDIMENTO ELEITORAL

1) Todos os procedimentos eleitorais da CGADB, sem qualquer exceção, sempre foram realizados às claras e de forma democrática, e sem manipulação, com inteira observância das disposições legais e estatutárias. Todos os convencionais tiveram plena liberdade para se inscrever como candidatos aos cargos eletivos. Prova disto que o próprio denunciante SAMUEL CÂMARA vem participando de sucessivas eleições, como candidato, tendo sido eleito, inclusive, como 1º Vice-Presidente da Convenção Geral, biênio de 2005/2007, afora outras funções eletivas que exerceu junto à Mesa Diretora, fatos que jamais poderá negar mesmo porque estão registrados nos anais da Convenção Geral. A reeleição do Pr. José Wellington Bezerra da Costa, como Presidente, e a eleição dos demais Membros da Convenção Geral, a par da estrita observância das disposições estatutárias, devem ser tributadas ao livre e consciente exercício do direito de voto dos convencionais que compareceram às sessões da Assembléia Geral, a exemplo dos respeitáveis votos atribuídos ao denunciante SAMUEL CÂMARA, restando-lhe apenas a lamúria de sua mal conduzida campanha. Duvidar da lisura, da condução e do resultado das eleições, como fez deliberadamente o denunciante, equivale a subestimar a própria inteligência dos convencionais que participaram do certame.
2) Quanto às inscrições de convencionais, principalmente daqueles que participaram da última eleição, são infundadas as denúncias propaladas pelo membro SAMUEL CÂMARA, a exemplos dos demais fatos que ele veiculou em programa de televisão. Inicialmente, convém esclarecer que as inscrições foram acompanhadas pelo próprio convencional SAMUEL CÂMARA e seus assessores, tendo resultado na confecção de um relatório subscrito por ele (Samuel Câmara) e pelos membros da Comissão Eleitoral. E é oportuno informar que as impugnações do denunciante foram examinadas e rejeitadas pela Comissão Eleitoral, por ausência de qualquer irregularidade. Não era verdadeira a alegação de falta ou intempestividade de pagamento das taxas de inscrições ou de anuidades envolvendo 1626 inscrições. Todas foram pagas a tempo e modo, cumprindo ressaltar que alguns convencionais, residentes na cidade do Rio de Janeiro, efetuaram os respectivos pagamentos no dia 21 de janeiro de 2009, porque o dia 20 de janeiro de 2009, último dia de prazo, foi FERIADO na cidade do Rio de Janeiro e, de acordo com o artigo 132, § 1º, do Código Civil, “Se o dia do vencimento cair em feriado, considerar-se-á prorrogado o prazo até o seguinte dia útil”. E nada melhor do que cumprir a Lei, como sempre foi do feitio dos Membros da Convenção Geral, cuidado que o denunciante demonstrou não possuir. Por outro lado, o denunciante insinua que 1300 convencionais compareceram somente no dia da votação, mas não estariam inscritos no prazo do edital. Mais uma inverdade pronunciada pelo membro SAMUEL CÂMARA. Todos os 1300 convencionais estavam inscritos. Por sua vez, não se pode censurar os convencionais que optaram por comparecer ao local de votação somente no dia da eleição, visto que a participação dos atos correlatos ao pleito é de livre iniciativa de cada convencional. Curioso que o denunciante SAMUEL CÂMARA, deliberadamente, deixou de mencionar os convencionais que ele apresentou às vésperas da eleição e, portanto, fora do prazo regimental, os quais foram inscritos em cumprimento de decisões judiciais provisórias proferidas em ações que eles ajuizaram contra a CGADB perante a Comarca de SERRA, Estado do Espírito Santo.

DO CADASTRO E DO REGISTRO DE CONVENÇÃO

1) Sob o enfoque deste tópico, também carece de veracidade a denúncia do membro SAMUEL CÂMARA. Nenhum convencional pode ignorar que o cadastramento e o registro de convenções são atos de competência da Mesa Diretora, a teor do artigo 39, III, do Estatuto Social, submisso a homologação da Assembleia Geral. A inscrição da entidade convencional que o denunciante mencionou em programa de televisão preencheu todos os requisitos do Estatuto da CGADB, especialmente quanto ao prazo de seis meses anteriores a data da AGO. Bem por isso que seus membros concretizaram suas inscrições no prazo do edital da última eleição, mediante o pagamento dos respectivos valores, tudo a demonstrar a inveracidade das afirmações do denunciante.

DA ÚLTIMA ELEIÇÃO

1) A eleição levada a efeito durante a AGO em Vitória-ES, como dito acima, foi a primeira mediante processo eletrônico, com urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Espírito Santo. Todos os atos que a precederam, regulados no Estatuto Social e Regimento Interno da CGADB, foram rigorosamente cumpridos e fiscalizados, inclusive acompanhados pelo denunciante, ora pessoalmente, ora por seus representantes. Como se isso não bastasse, convém salientar que o próprio Tribunal cedente das urnas designou seus técnicos, que, diligentemente, acompanharam todos os procedimentos, culminando com a apuração e proclamação dos resultados. Como prova inequívoca da transparência, da oportunidade e lisura do pleito, mesários, escrutinadores, secretários, presidentes de mesas e fiscais foram indicados e recrutados pelos candidatos a presidente, até mesmo para a lacração das urnas, o que concorreu para o equilíbrio, a igualdade e a verdade dos resultados. Portanto, quando o denunciante se refere à suspeição e manipulação das eleições e seu resultado, em verdade o faz como ato de desespero, sem medir as consequências de suas inverídicas afirmações, sem a preocupação de atingir a honra, a imagem e a dignidade de consagrados servos de Deus, que, com dedicação e desvelo, cuidam de imensos rebanhos do Senhor da Seara.

DAS DELIBERAÇÕES DO PLENÁRIO

1) A respeito das deliberações do Plenário, o denunciante SAMUEL CÂMARA demonstra estar desinformado quanto ao que dispõe o artigo 21 do Regimento Interno, que regulamenta a forma de aferir a votação de matérias submetidas a debate em plenário. Conferindo o Regimento da CGADB, é inegável que a conduta do presidente do conclave se ateve rigorosamente ao que determina o mandamento estatutário e regimental, não sendo verdadeira, portanto, a afirmação do denunciante sobre suposta conduta diversa do presidente da Mesa.

DO RELATÓRIO DA COMISSÃO ESPECIAL

1) As inverídicas afirmações do membro SAMUEL CÂMARA a respeito de gastos, encargos e compromissos financeiros da CGADB, principalmente no que se refere ao período de 2007 a 2008, comportam os seguintes esclarecimentos:
a) Como é do conhecimento de todos os Membros Convencionais, a CGADB tem vários órgãos que exercem atividades em sua estrutura administrativa, tais como: Mesa Diretora, Conselho Fiscal, Conselho de Ética, Comissão Jurídica, dentre outros. Todos os convencionais que integram esses órgãos exercem suas atividades sem remuneração de qualquer espécie, cabendo à CGADB os custos de deslocamentos, hospedagem e alimentação dos seus Membros, quando no desempenho de suas atribuições estatutárias. Aliás, o próprio denunciante SAMUEL CÂMARA, enquanto integrante de órgãos da CGADB, também recebeu o mesmo tratamento, sem que desembolsasse, de si próprio, ou da igreja que preside, qualquer valor para cobrir suas despesas no desempenho de atividades estatutárias. Ao contrário do que insinuou o denunciante, todos os valores indicados no relatório da Comissão Especial nomeada são decorrentes de intensas e exaustivas atividades dos Membros que integram os diferentes Órgãos da CGADB, realizadas em diferentes regiões do País, sempre no interesse da entidade, como os convencionais tiveram a oportunidade de verificar e comprovar na última AGO. Não merecem credibilidade, portanto, as gratuitas afirmações do denunciante, mesmo porque desprovidas de qualquer prova em sentido contrário.
b) Quanto às dividas fiscais apontadas (INSS e FGTS), convém ressaltar que é absolutamente inverídica a informação da existência de “apropriação indébita” de valores descontados dos empregados da CGADB. O relatório da Comissão Especial nomeada dá conta de que os valores descontados de salários foram quitados. Logo não procedem as afirmações do denunciante. Quanto ao saldo apontado como objeto de parcelamento junto ao órgão governamental competente, aguarda-se deferimento de requerimento formulado em estrita observância das normas legais.
c) Com relação aos compromissos assumidos, é oportuno esclarecer que as finanças da CGADB são alimentadas pelas anuidades e taxas de inscrições dos Membros Convencionais de sorte que, em razão da ausência de provisão de fundos de vários cheques recebidos de convencionais, a entidade teve momentânea dificuldade para saldar seus compromissos, mas, conforme consta do relatório da Comissão Especial, os títulos de créditos mencionados pelo denunciante foram resgatados. Por não ser de seu interesse, o denunciante omitiu, propositadamente, o parecer final da aludida comissão, que não foi por ele contestado em plenário, onde está expresso que: “Diante dos fatos analisados e dos comentários citados, somos de parecer de que os relatórios financeiros de 2007 e 2008, apresentados pela CGADB, sejam aprovados, com a incorporação deste relatório e documentos, com atendimento as recomendações aqui constantes, em especial com o preparado das demonstrações financeiras em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos. De igual modo, esta comissão considerando os aspectos envolvidos e a documentação apresentada, conclui que, tendo em vista a matéria discutida, não se identifica nenhum elemento evidenciador de improbidade administrativa”. Deve ser destacado que a Comissão Especial em referência foi composta por convencionais dotados de formação técnica adequada, e com a participação de representante do denunciante SAMUEL CÂMARA. O parecer acima parcialmente transcrito foi submetido à discussão e apreciação do plenário, tendo sido APROVADO POR UNANIMIDADE pelos Convencionais, dentre eles o próprio denunciante SAMUEL CÂMARA.

DA DOCUMENTAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO

1) No que se refere aos documentos de inscrição dos candidatos, o pronunciamento do membro SAMUEL CÂMARA, igualmente, está permeado de inverdades. De todos os que se candidataram aos mais diversos cargos eletivos da CGADB, foi exigida a documentação regimentalmente determinada, conforme dispõe o artigo 41 e seguintes do Regimento Interno, com prazos de impugnações. Por outro lado, é absolutamente inverídica a afirmação de que o subscritor da presente teria presidido sessão da Comissão Eleitoral, até porque os membros daquele órgão, que atuaram com total independência, jamais permitiriam a ingerência de terceiros em seu funcionamento. É lamentável observar, mas o denunciante, propositadamente, confunde a pessoa física dos candidatos com a pessoa jurídica da CGADB.
2) Finalmente, destaca o subscritor desta nota, em nome da Mesa Diretora e todos os demais órgãos da CGADB, que não é cabível, por impertinente, a ressuscitação de questões exaustivamente debatidas e já decididas, soberanamente, pelos Membros Convencionais, não sendo demais acrescentar que as denúncias do membro SAMUEL CÂMARA configuram comportamentos espiritualmente reprováveis, cabendo ao Senhor da Seara avaliá-las segundo seus santos propósitos e juízos. Bom seria que o precioso espaço do programa de televisão fosse utilizado pelo membro SAMUEL CÂMARA para a propagação do Santo Evangelho, porque é com esse magno propósito que ele foi consagrado ao Ministério da Palavra.
Fraternalmente, em Cristo Jesus, Senhor Nosso,

Rio de Janeiro, 18 de junho de 2009

Pr. Jose Wellington Bezerra da Costa
Presidente

terça-feira, 12 de maio de 2009

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro afirma que heterossexuais têm o direito a entender que a homossexualidade é um desvio de comportamento, uma doen

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro afirma que heterossexuais têm o direito a entender que a homossexualidade é um desvio de comportamento, uma doença

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro ao julgar uma apelação em Ação Popular contra o Estado do Rio de Janeiro, no ano de 2002, com intuito de anular o repasse de recursos que financiava a “VII Parada de Orgulho Gay” em 30/06/2002, no então governo da Sra. Benedita da Silva, decidiu ser legitima manifestação pública contra o incentivo a homossexualidade.
A Justiça decidiu entre outras coisas em 01/04/2009, que é legítimo aos cidadãos heterossexuais, o direito de expressarem o seu pensamento a luz dos valores morais, éticos e religiosos, no que diz respeito a entender ser a homossexualidade um desvio de conduta, uma doença, algo que cause mal à sociedade humana, devendo tal comportamento ser reprimido e não apoiado pela sociedade.
Tal conduta não pode ser entendida como é crime ou ato discriminatório, pois é legítimo o direito de expressão de ambos os lados no sistema jurídico vigente.
O acórdão faz uma abordagem do legítimo direito das pessoas, com base nas garantias constitucionais (art. 5º) de liberdade religiosa de crença, consciência e culto, e liberdade de expressão de emitir suas opiniões, de forma pacífica, sem sofrer QUALQUER TIPO DE RESTRIÇÃO por parte do Estado ou grupo de minorias.
O Acórdão do Tribunal do Rio de Janeiro de forma direta é totalmente contrário à instituição de uma mordaça gay, pois os cidadãos são livres no seu pensar e agir, com base em sua fé e valores.
Assim, esta decisão judicial reforça mais uma vez as graves inconstitucionalidades que o PLC 122/06 (lei da homofobia) tenta inserir no sistema jurídico brasileiro, criminalizando opiniões em benefício de um grupo de interesses, com ofensas à lei maior.
A decisão é atual e coerente com os valores constitucionais da liberdade de expressão e consciência.
Espero que esta decisão do Tribunal de Justiça mais moderno do país auxilie aos Senadores a entender ser inconstitucional criar uma lei que criminalize opiniões no tocante a homossexualidade, logo o PLC 122/2006 deve ser REJEITADO por grave violação a Carta Constitucional e a boa redação e técnica legislativa.
Divulgue esta decisão jurisprudencial para que outros Tribunais tenham a mesma coragem de não se curvar a movimentos ou patrulhamento de grupos contra o estado democratico de direito e a liberdade de expressão.
Veja o teor parcial do acórdão:
“...Contudo, também, não se pode negar aos cidadãos heterossexuais o direito de, com base em sua fé religiosa ou em outros princípios éticos e morais, entenderem que a homossexualidade é um desvio de comportamento, uma doença, ou seja, algo que cause mal à pessoa humana e à sociedade, devendo ser reprimida e tratada e não divulgada e apoiada pela sociedade. Assim, não se pode negar ao autor o direito de lutar, de forma pacífica, para conter os atos sociais que representem incentivos à prática da homossexualidade e, principalmente, com apoio de entes públicos e, muito menos, com recursos financeiros. Trata- se de direito à liberdade de pensamento, de religião e de expressão....”
Tribunal de Justiça- Décima Primeira Câmara Cível
Apelação Cível nº. 2008.001.65.473
Relator:Desembargador Claudio de Mello Tavares
Fonte: Blog Zenóbio Fonseca
Divulgação: www.juliosevero.com

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Composição dos órgãos da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil – Quadriênio 2010-2013

Conselho Administrativoda CPAD

Região Norte
Lucifrancis Barbosa Tavares, AP
Carlos Alberto Santos, AC
Possidônio Martins dos Reis, PA, suplente

Região Nordeste:
Dermeval Lopes Cerqueira, BA
Osires Teixeira Pessoa, CE
Cleudson Carlos Ferreira de Souza, BA, suplente

Região Sudeste:
Jose Wellington Costa Jr, SP
Lourival Machado, RJ
Kemuel Sotero Pinheiro, ES
Alvaro Oliveira, ES, suplente

Região Centro-Oeste
Orcival Pereira Xavier, DF
Elienai Cabral, DF
Sebastião Silva Cunha, suplente;

Região Sul
Daniel Sales Acioli, PR,
Juvenil Santos Pereira, SC;
Douglas Scheffel, PR, suplente .

Diretoria do Conselho Administrativo
José Wellington Costa Junior (SP), presidente;
Kemuel Sotero Pinheiro (ES), 1º vice-presidente;
Dermerval Lopes de Cerqueira (BA), 2º vice-presidente;
Orcival Xavier (DF), 1º secretário;
Lucifrancis Barbosa Tavares (AP), 2º secretário;

Conselho Fiscal
Presidente: João Carlos Padilha de Siqueira, SP
Vice-presidente: Israel Alves Ferreira, BA
1º Secretário: Perci Fontoura, PR
Relator: Rinaldo Alves dos Santos, DF
Membro: Joel Holder, RO

Suplentes
Moisés de Melo e Silva, AM
Antonio José Azevedo Pereira, CE
Álvaro Alen Sanches, MG
Jesus Vieira Vilande, RS
Samuel Lima dos Santos, DF

Conselho Consultivo

Região Norte
Jacob Monteiro da Silva, AP
Luiz Gonzaga de Lima, AC

Região Sudeste
José Pereira da Silva, SP, Presidente
Horácio da Silva Junior, RJ
Sebastião Antonio Alves, SP

Região Sul
Volmar Mucine, SC
Moisés Ramos, PR

Região Nordeste
João Severino Fernandes, PE
Samuel Oliveira, PE

Região Centro-Oeste
Carlos Chaves de Castro, MS
José Genesio da Silva, MT

Conselho de Doutrina
Paulo Roberto Freire da Costa (SP), presidente;
Emanuel Barbosa Martins (SP),
Paulo Lopes Correa, (RJ),
Carlos Alberto Silva (SP),
Martins Alves da Silva (RN),
Evilásio Conceição Bastos, BA
João Oliveira de Souza, RS
Neemias Pereira da Rocha (GO),
José Antonio Gonçalves, MT
Lázaro Humberto Lemes, AC
Antonio Xavier dos Santos Vale, TO


Conselhos Regionais

Região Nordeste
Nestor Henrique Mesquita, PI, presidente
José Rodrigues Nunes, BA
Amaro Antonio Cristovam Filho;
Simas Dias dos Santos,
Ubiratan Cavalcante Alves, PE
José Carlos de Lima, PB
Emídio Barbosa de Lima Brito, PB
Elinaldo Renovato de Lima, RN
Pedro Aldi Damasceno, MA
José Alves Cavalcante, MA
Virginio José de Carvalho Neto, SE
Adonias Angelo Barros
Maurino Pinheiro do Nascimento, CE
Francisco Erivelton Gonçalves

Região Sudeste
Raimundo Soares de Lima, SP, presidente;
Samuel Rodrigues, SP
Alcides Favaro, SP
Adilson Farias, RJ
Luiz Francisco dos Santos, SP
Moisés Moreira de Oliveira, RJ
Adeílton Neres de Souza, ES
Arnaldo Candeias, ES
Ivan Pereira Bastos, ES
Adão Alves de Araújo, MG
Sérgio Eleotério Coelho, MG
João Alto da Silva, RJ
Alvaro Alen Sanches, MG

Região Sul
Bento Alcebíades Teixeira, RS
Aparecido Storbem, PR
Vilson Label, SC

Região Centro-Oeste
Elias Longo, MS
Wellington Carlos Almeida Rocha, GO
Wanderly Tavares Ferreira, DF
Ruimar Fonseca de Souza, DF
João Agripino de França, MT
José Marcelino da Silva, DF

Região Norte
Eliel Morais de Almeida, AP,
Celso Gregório de Lima, AC
Adão Pereira do Nascimento, RR
Nivaldo dos Anjos Silva, PA
Jonatas Câmara, AM
João de Deus Mariano Campos, PA,
Manoel Angelo Chagas, RO


Conselho de Educação e Cultura

Geziel Padilha, SP
Emanuel da Silva, RJ
Terrency Bernhard Jonhson, SP
Eliezer Bernhardt Morais, RS
José Alves da Silva, PR
Rubens Ciro de Souza, MT
Douglas Roberto de Almeida Baptista, DF, Presidente
Sadraque Muniz, RO
Orlando Gaia, AP
Altair Germano da Silva, PE
Manoel Monteiro, BA


Conselho Consultivo

José Pereira da Silva (SP), presidente;
João Severino Fernandes (PE),
Samuel Oliveira, (PE),
Umberto Batista da Silva (ES),
Alexandro Huguerini, RJ
Sebastião Antonio Alves (SP),
Moisés Lacour (PR),
Samuel Rodrigues Moreira (PR),
José Genésio da Silva (MT),
Sebastião de Andrade (TO)
Manoel Custódio Montes, RJ

Conselho de Ética e Disciplina

Evandro de Souza Lopes, SP - Presidente
Waldemar Nascimento de Oliveira (PA),
Samuel da Silva, RJ
Edi Marcos Vinagre de Lima, SP,
José da Silva Neto, PI
Oscar Domingos de Moura, ES
Jorge Luiz Pereira de Souza, CE
Wandercy da Silva Lourenço, RJ
Edegar de Souza Machado, RS
Sidraque Pinheiro da Silva (DF)
Otaviano Miguel da Silva, DF

Conselho de Ação Social

Região Norte
Davi Rodrigues do Nascimento, RO
Manoel Luiz Miranda, RO

Região Nordeste
Pedro Ribeiro Filho, CE
Jairo Teixeira Rodrigues, AL

Região Sudeste
Alexandre Florêncio da Silva (SP), presidente;
José Felipe da Silva (SP),
Nahor Gonçalves de Oliveira, ES

Região Centro-Oeste
Salatiel Ricardo da Silva, DF
Silas Paulo de Souza (MT)

Região Sul
Nehemias da Silva, RS
Ezequiel Machado, SC

Comissão de Temário
José do Prado Veiga (SP), presidente
Ozias Luiz do Nascimento, CE
Dari Ferreira da Silva (PB)
Alcidnei Teixeira, RJ
Marcio Rogério de Paula Silva (RJ)
Waldemar P Paixão, RS
Sergio Mafra, SC
Leidir Aparecido de Souza Ribeiro (MT)
Sebastião Pereira do Carmo, DF
Deusdete Septitio Ramos, PA
Aerton Souza Dias, RR

Conselho de Capelania

Região Norte
Manelito Costa Carvalho (RO)
Eliezer Tenório Soares, AP
Josias Pinheiro de Paula (AC)
João Silva (RR)
Carlos Natalino Brito de Andrade, PA
José Carlos de Souza, TO

Região Sudeste
Agostinho Gomes da Silva Filho (SP), presidente
Elias Cristo de Melo, SP
Ezequiel Siqueira, (RJ)
José Luiz Miguel, ES
Antonio Gomes (ES)
Paulo Canelas de Moraes, RJ

Região Nordeste
José Afonso Maia Uchoa, CE
Roberto de Morais de Oliveira Filho (SE)
Arnóbio Tavares Lima (AL)
Ailton José Alves Filho (PE)
Álvaro Cavalcante (PB)
Irã Santana Mesquita (PI)
Moacir Luiz dos Santos, MA
Abedenego Xavier dos Santos, RN
Joezer Cruz Santana, BA

Região Centro-Oeste
Victorio Galli Filho, MT
Juliano Stephanini, MS
Raimundo Nonato Souza dos Santos (DF)
Valcir F Camara Canto, DF

Região Sul
Alci Schneid, RS
Linderson Marcos Romano, PR
Carlos Mafra, SC

Conselho Político
Ronaldo Fonseca de Souza (DF), Presidente
Paulo Roberto Freire Costa (SP), Vice-presidente
Geremias dos Santos Couto, RJ Secretário
Lelis Washington Marinhos (SP), Relator

Amadeu Ferreira (AP),
Helder Cotta Paiva (AC),
Daniel Barbosa Lopes (RR),
Riter Jose Marques de Souza, PA
Moacir Pereira Da Silva, TO
Carlos Roberto dos Santos, RO
Reginaldo de Almeida, ES
Reginaldo Loureiro Pereira (ES),
Jurandir Loureiro, ES
Delfino Brunelli Junior, SP
Francisco Carlos Filho, RJ
Elias José de Oliveira, RJ
Almir Neres de Souza, ES
José Fernandes de Oliveira, ES
Bernardino Rodrigues da Silva, ES
Jorge Jubileu, RJ

Roque Vilande, RS
Cirso de Lima, SC
Edilson Santos Siqueira, PR

Lídio Nogueira Lopes, MS
José Auricélio Martins Rodrigues, DF
João Coelho, GO
Claudio Passos Neres, DF
Geremias de Brito, MT

Gedeão Rosa dos Santos (PE),
Fernando Silva (PB),
José Eriovaldo de Farias (PB),
Antonio Jácome de Lima Junior (RN),
Florêncio Nunes Neto (CE),
Pedro Cavalcante Falcão (CE),
José Barbosa Limeira, AL
Joel Teixeira de Souza, PE
José Edilson da Costa, CE
Marcos Vinicius Girão Borba, SE
Raimundo Pereira de Andrade, PI


Conselho de Missões
Pedro Inácio da Silva, DF
Natanael do Gama, DF
José Antonio da Silva Sobrinho, MT
Orlando Lima Monteiro (MS),

Jael Costa Mota (SE),
Severino Rodrigues da Silva, AL
Elis Clementino da Silva (PE),
Ismael Felix Pereira, CE
Gilberto dos Santos (RN),
José Expedito Dias Reis (PI),
Daniel Matos Chaves (MA),
Hugo Noival, BA
José Rogerio de Maria, CE

Paulo Magalhaes, SP
Antonio Rosa,MG
Salatiel Fidelis, MG
Altair Silveira, (ES),
Josemil Souza de Rosario, ES
Manasses Lins de Brito (RJ),
Paulo Rogerio, RJ
Francisco José da Silva, RJ
Edvaldo Florêncio da Silva, RJ

José Antonio Viana, RO
Marcone Pereira Oliveira (RR),
Josias Dias Fonseca, AP
Jonas Francisco da Costa, AC
Jaime Pires, PA
Marinaldo Soares Souza, TO

Gesse Luiz Rosa, PR
Joel Correa, RS
Cesino Bernardino, SC, Presidente


Conselho de Comunicação e Imprensa

Antonio Pereira Mesquita (RJ), presidente;
Cilas Sepulcro, ES
Levi Agnaldo dos Santos, SP
Jorge Daniel de Assis, ES
Manoel Francisco de Freitas, RJ
Jean Gerade Junior (MS),
Juvanir de Oliveira, MT
Raimundo Feitosa, MT
José Suilmar Caetano Ferreira (DF)

Gessé Figueira, PR
Jair M. Ibaldo, RS
José Olmir, RS
João Carlos Vieira Vilande, PR
Silas Rosalino de Queiroz, RO
José Antonio Francisco Campos, TO
José Maria de Lima Segundo, AP
Carlos Augusto M. Bahia, AP

Raimundo Nonato Saraiva, CE
Messias de Castro e Silva, CE
Jonas Gomes do Nascimento, MA
Raimundo Alexandre de Paulo Pereira,

Comissão de Relações Públicas
Rogério Luiz R. de Souza, AC
Edson Barbosa de Oliveira, RR
Orcélio Nauar de Araujo, PA
Sebastião Fernandes de Lima, AC
Eliezer Soares de Lima, AC

José Fernandes Filho (SP), presidente;
Jessé Gomes de Souza (ES),
Delfino Brunelli Junior (SP),
Carlos Levi Mendes Conde, ES
Moisés dos Santos Andrade, ES
Walter Avelino, ES
Walter Ferreira Lemos, RJ
Eleucyr Crispim Costa- RJ

Raimundo Lucio Vidal Filho (PB),
Jaime Alexandre dos Santos (PE),
José Francisco Ferreira, PE
José Rodrigues Pereira, AL
Antonio José Dias Ribeiro, MA
Crispiniano Lopes da Silva, SE

Manoel Pereira Xavier (DF),
João Martins, MS
Marcos Roberto Morais da Costa, DF
Daniel Castro, DF
Daniel Dias de Oliveira, MT

José Polini, PR
João da Paixão, RS
José Ferreira, SC


Comissão de Planos e Estratégia de Evangelismo e Discipulado

José Rodrigues da Luz (PA),
José Valter da Rosa, RO
Max Edson Monteiro Baia, AP
Antonio da Silva Souza, RR
Pedro Ferreira Filho, TO

Raul Cavalcante Batista (MA), presidente;
Jailton Simões, BA
Josué Bezerra de Medeiros, AL
Jairo Kaillo de Souza da Silva, RN
Jerinaldo Messias (SE),
Francisco Tercio de Vasconcelos (PE),
Daniel Nunes da Silva (PB),
Francisco Almir Nobre (CE),
Mateus Francisco Chagas Silva (PI),

Josualdo Mendes Dresler (GO),
Tugval Gomes Farias (DF),
Moisés Maciel de Matos, MS
Antonio Gladear, DF
Walter dos Santos, MT

Paulo Silas Reis (SP),
Sizaque Valadares (SP) e
Elinelson Cortes da Silva, RJ
Elias Alzemann, RJ
João Batista Reis, RJ
Samuel Luciano, RJ
Cyro Mello, RJ

Miguel José da Silva, PR
Josias Cecílio, SC
José Santos do Rosário, SC


Comissão de Apologética

Esequias Soares da Silva (SP), presidente,
Antonio Silva (SP),
Paulo César Lima (RJ),
Severino Pedro da Silva (SP).
Ezequias Soares, ES
Francisco Eurico (PE),
José Gonçalves da Costa Gomes (PI),
Sergio Jara, MS
Misael Figueiredo da Silva, DF

Silvio Ferreira Pimenta, PR
Domingos F. Lamberty, RS

Comissão Jurídica
Abiezer Apolinário (BA), presidente;
Severino Francisco da Silva Filho, PE
Paulo Moraes (SP)
Nilson Alves Filho, RJ
Artur Carlos Lessa, ES


Secretaria Nacional de Missões
Jonas Francisco de Paula (RJ),
Ezequiel de Matos (RJ)
Edegar dos Santos Amorim (RJ).

Escola de Missões
Elizeu Garcia Martins (SP), diretor-executivo;
Edivaldo Aparecido Bueno, SP, vice-diretor-executivo;
José Cláudio Munhoz (SP), diretor administrativo financeiro;
Esequias Soares da Silva (SP), diretor acadêmico; e
Francisco Sales Ferreira, SP, secretário geral.

terça-feira, 5 de maio de 2009

NUMEROS DA ELEIÇÃO DA CGADB

Confira os números oficiais da eleição da CGADB

Dos 17.218 inscritos e aptos para votar (incluindo 373 da Convenção Ciadseta, que foram incluídos por liminar, no dia 22, à noite), 4.339 não votaram. Além de a eleição constituir-se em um fato inédito, por sua grandeza e uso de urnas eletrônicas, não houve nenhum problema quanto ao uso das urnas. Segundo Alfredo Andrade, chefe da Seção de Voto Informatizado do TRE-ES, somente uma urna apresentou problema. Em função da falta de energia, registrou-se deu problema na bateria da urna. Porém, não influenciou em nada o andamento do sistema.

O resultado dos votos foram os seguintes:

Presidente
Pastor José Wellington Bezerra da Costa, 6.719 votos;
Pastor Samuel Câmara, 5.963.

Vices
1º vice – Silas Malafaia (RJ), 5.843;
Oscar Domingos Moura, 5.539;
Temóteo Ramos de Oliveira, 825.

2º vice – Ubiratan Batista Job (RS), 6.056;
Ival Teodoro, 5.643.

3º vice – Sebastião Rodrigues de Souza (MT), 6.212;
Sóstenes Apolo, 5.529.

4º vice – Gilberto Marques de Souza (PA), 6.263;
Pedro Lima, 5.594.

5º vice – José Neco dos Santos (AL), 6.315;
José Coutinho Guimarães, 5.420.

Secretários
1º secretário – Isaías Coimbra (RJ), 6.442;
Moisés Silvestre, 5.691.

2º secretário – Arcelino Brito de Melo (SC), 6.391;
Nilton dos Santos, 5.668.

3º secretário – Antonio Dionízio da Silva (MS), 6.502;
Domingos Junior, 5.525.

4º secretário – Isamar Ramalho (RR), 6.373;
Sebastião Fernandes, 5.590.

5º secretário – Roberto José dos Santos (PE), 6.313;
Valdomiro Pereira, 5.622.

Tesoureiros
1º tesoureiro – Antônio Silva Santana (SP), 6.026;
Jonas Francisco de Paula, 5.434.

2º tesoureiro – Josias de Almeida Silva (SP), 6.027;
Ivan Pereira Bastos, 5.629.

Conselho Fiscal
Joel Holder (RO), 6.410;
Israel Alves Ferreira, 6.341;
Perci Fontoura, 6.338;
Rinaldo Alves dos Santos, 6.337;
João Carlos Padilha de Siqueira, 5.914 (eleitos).

Samuel Lima dos Santos, 5.559;
Antônio José Azevedo Pereira, 5.467;
Jesus Vieira Vilandi, 5.402;
Moisés de Melo, 5.379;
Álvaro Além Santos, 5.220;
Samuel Rodrigues, 376;
Admar Vargas de Oliveira, 282.

Mudança de Cultura

A Mesa Diretora da CGADB tomou uma decisão muito feliz (como todas as demais), ao incentivar a antecip ação das inscrições. Essa iniciativa começou a partir da 4ª AGE, em Porto Alegre, RS, como o nobre companheiro pode muito bem lembrar. Como se tratava de uma mudança de cultura, essa transição precisou ser planejada. Em Porto Alegre, ainda foi possível fazer inscrições no primeiro dia da AGE, mas a partir desta 39ª AGO, o último dia foi 20 de janeiro, (com exceções aos ministros residentes da cidade do Rio de Janeiro).

É claro que não foi uma mudança cultural tão simples, porque foram exatamente 174 dias, um pouco menos de 6 meses, em que as inscrições estiveram abertas. De 01 de agosto/2008 até 20 de janeiro/2009! Para as próximas AGOs e AGEs, certamente não haverá aquela velha “agonia” de se deixar tudo para os últimos 30 minutos, do último dia de inscrição. Como estamos praticamente no início do nosso 2º centenário é razoável pensar que não sofreremos mais essa tal “agonia”. As intermináveis filas e as “pastas” insuficientes são fatos do passado. Eu creio nisto! O maior beneficiado sempre será o próprio ministro.

O total de inscritos ultrapassa a casa dos 17 mil. Isto representa 50% do número de ministros ativos (entre missionários e ministros jubilados), aproximadamente! Sem dúvida, antes de iniciar a primeira seção, o presidente já terá o total exato de inscritos, como reza o Art. 7º do nosso Regimento Interno. Quando escrevi este texto, a Comissão Jurídica ainda se debatia entre processos, impugnações, liminares e contestações. A propósito, desde 1930 que uma Comissão com esta nomenclatura não atua tão intensamente. Se bem que essas pechas de “impugnação”, e “liminar” não existiam nessa época. Os viventes desses idos afirmam com a face e a mão direita levantada aos céus, que os primeiros onze versículos da primeira carta do Apóstolo Paulo (com a maiúscula) eram lidos, entendidos e praticados pelos pioneiros. Bem protestava o veterano poeta Joanyr de Oliveira, no artigo “A Igreja que desejamos”: “Nenhum irmão conduza outro à justiça: tal procedimento é indigno e vil, fere frontalmente os princípios bíblicos porque nega o amor, sem o que nada tem sentido na Casa de Deus”.

Não sabemos quando teremos outra Assembléia tão concorrida. Quem sabe meus netos estejam aqui para testemunhar. Talvez as próximas eleições sejam regidas por outro sistema menos oneroso. A propósito, não é por acaso que estamos completando nosso primeiro centenário.
O local escolhido para realização do evento é o Centro de Exposições de Carapina, cidade de Serra, na Grande Vitória, Espírito Santo. O convencional dispõe de espaço suficiente para votar com adequado conforto. Para esse fim a Comissão Eleitoral tem envidado todos os esforços para proporcionar uma votação tranquila, dentro dos princípios que regem nossa conduta cristã, quais sejam, a legalidade, o direito e a boa ordem.

Abertura

A abertura do evento será no dia 20, às 19:00 horas, no próprio local das plenárias. O preletor da noite de abertura será o presidente da Convenção Geral, pastor José Wellington Bezerra da Costa e os preletores dos devocionais serão os pastores Hidekazu Takayama, PR, José do Prado Veiga, SP, Daniel Silva, AL, Pedro Aldi Damasceno, MA, Genildo Simplício, SP, Josué Brandão, BA, José Antonio dos Santos, AL, e Gilvan Rodrigues, PB.
As esposas dos ministros terão palestras específicas, sob a coordenação da irmã Wanda Freire Costa, que preside a Unemad, União das Esposas de ministros das Assembléias de Deus. O local das palestras será um plenário separado, especialmente preparado para esse fim.

Temário

O temário desta AGO, conforme consta no Edital de Convocação publicado no “Mensageiro da Paz”, órgão oficial da CGADB, será o seguinte:
1 – Posicionamento da CGADB quanto à nulidade ou anulabilidade do casamento, união estável e concubinato, e a revisão do posicionamento acerca do divórcio.
2 – Ênfase aos princípios pentecostais, face à celebração do Centenário das Assembléias de Deus. 3 – Perigos que ameaçam as Assembléias de Deus no Brasil:
a) Mornidão;
b) Modismos neo-pentecostais;
c) Remoção dos marcos antigos;
d) Omissão dos valores eclesiásticos.
4 – Julgamento de recursos contra decisões da Comissão Eleitoral, conforme disposto no artigo 32 do Estatuto Social e artigo 58 do Regimento Interno.
5 – Apreciar e deliberar sobre relatórios da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal, relativos ao período do mandato, conforme disposto no Art. 8º - III, do Regimento Interno.
6 – Eleição e posse da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal.

Horário

Todas as normas reguladoras do processo eleitoral estão estabelecidas nos artigos 39 ao 127 do Regimento Interno. Cada sessão da Assembléia Geral funcionará no período das 9h00 às 12h00, e das 14h00 às 17h00. Para maior viabilidade dos trabalhos a Mesa Diretora pretende fazer uma só seção cada dia (É claro, com espaço para almoço!)
De acordo com o disposto no art. 17 do Estatuto Social, poderão votar pelo sistema eletrônico oficial ou manual, somente os convencionais presentes e, evidentemente, inscritos para esta Assembléia Geral.
A sessão destinada à realização da eleição funcionará a partir das 8h00 do dia 23 de abril, ininterruptamente, até a conclusão dos trabalhos de apuração e a totalização dos votos. A proclamação do resultado pela Comissão Eleitoral e a posse dos eleitos ocorrerão no mesmo dia, ou seja, no dia 23 de abril.
Cada convencional deverá estar atento para o fato de que a finalização do recebimento dos votos ocorrerá às 17h00, somente sendo admitido votar após esse horário, o associado que já estiver na respectiva seção eleitoral, mediante recebimento de senha e entregue à mesa sua credencial ou documento de identificação.
Esperamos que, uma vez mais, a bondade do Todo-Poderoso seja derramada em nossos corações, por Cristo Jesus, “de quem somos e servimos”, (At 27.23). Finalizo com as palavras de Samuel, ao afirmar em Mispa, depois da flagrante derrota dos filisteus diante do povo de Deus: “Até aqui nos ajudou o Senhor”, 1 Sm 8-12!


PR CYRO MELLO
Secretário-Adjunto