quarta-feira, 16 de junho de 2010

CAMPANHA DE ORAÇÃO CONTRA A LEI DA FIFA QUE PROIBE MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA

CAMPANHA DE ORAÇÃO CONTRA A LEI DA FIFA QUE PROIBE MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA

Começamos hj uma campanha de oração para que a lei que proibe MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA dos jogadores evangélicos seja definitivamente anulada. Aliás, como foi anulada a lei de Assuero contra os judeus, por iniciativa de Hamã, o inimigo do povo de Deus.

Ora, sabemos que essa "LEI", nada mais é do que uma manifestação anti-Deus por parte da FIFA, cujo presidente é o francês Blater, um ateu.

É possível anunciar bebidas alcóolicas e outros temas, mas divulgar o nome de Jesus através de uma camiseta ou de um oração de joelhos no meio do campo é PROIBIDO.

Mas, essa copa, como em todas as outras, é um excelente momento para divulgar o nome de Jesus entre as nações, especialmente onde há extrema proibição de se falar no NOME QUE É SOBRE TODOS OS NOMES, o NOME DE JESUS. Eis o exemplo da Coréia do Norte, 1ª adversária do Brasil. O choro do atacante ao cantar o hino coreano evidencia isto.

Oremos tb pelos jogadores e comissão técnica conhecidos como evangélicos (como Kaká, Lúcio, Tafarel, Jorginho e outros), para que o testemunho cristão possa ser evidenciado e o nome de Jesus e seu reino sejam propagados.

Juntemo-nos nessa investida contra as trevas.

Abçs

Pr Cyro Mello

REPASSE ESSE E-MAIL

4 comentários:

Pr. Flavio Constantino disse...

Querido Pastor Cyro,

A Paz do Senhor,

Pode contar comigo nessa Batalha,

Um grande abraço,

No Amor de Cristo,

Pastor Flavio Ferreira Constantino.

sandra disse...

Caro Irmão Cyro Mello.
O futebol é do bem e sendo assim é de Deus. Com isso tem sido, desde o seu inicio, um agregador de povos, de pessoas, independentemente de suas religiões. Deus não tem como meta que os homens sejam religiosos, sim que os homens se amem. A tendência de uma religião sobre outra tem trazido guerra, morte e desagregamento.
O esporte é parte do amor humano pela paz, diferentemente do descontrolado, não convincente e mal explicado amor a Deus, por parte de muitos “fiéis”, de quem devemos mais é desconfiar do que acreditar; que têm deturpado a mente de muita gente, e nada ajudado, pois que alheias e distanciadas do verdadeiro Evangelho, abusam de tendenciosas interpretações. O amor a Deus há que ser manifestado com exemplos dignos e verdadeiros, não com falsas manifestações, muitas das vezes ridículas, que não são do agrado dos povos, tampouco do Senhor, e parecem mais um grande oportunismo. Não é com aparências, escritos nas camisas, propagando igrejas de certos lideres "religiosos", que usam-na para se locupletarem, conforme todos sabem, que se fará uma mensagem certa. O futebol é por Deus, usado para unir, agregar as pessoas, irmanar e prescinde de oportunidades ou momentos para divulgar o nome de Jesus entre as nações, pois já é por si só parte da estratégia de Deus para enlaçar o coração dos homens. Deus pretende que os homens se convençam a se amarem sem que haja mais imposições ou conflitos religiosos. O amor vem de dentro do home para fora, não de fora para dentro, e não temos sido o bastante convincentes com nossas palavras, pois as usamos quando deveríamos sim, usar ações e (ou) palavras sensatas autorizadas por Deus, que não precisa de usar o momento esportivo para que ali seja levada a sua palavra, pois o momento já é a sua palavra. Tenho opinião que a FIFA está correta com a sua decisão.
A PAZ DO SENHOR. Meu abraço, meu carinho.
Oldemar Souza Figueiredo

sandra disse...

Caro irmão Oldemar:

Obrigado por sua resposta.

Minha campanha de oração, que já tem algumas centenas de participantes, prende-se ao fato que a Palavra de Deus tem que ser difundida, no dizer do apóstolo Paulo "a tempo e fora de tempo" (2 Tm 4.2).

Essa manifestação dos jogadores evangélicos parece "fora de tempo", mas, imagine meu caro irmão, milhares de telespectadores no mundo todo (inclusive em países onde o nome de Jesus é proibido, como no mundo muçulmano ou comunistas, como a tão sofrida Cuba ou Coréia do Norte) lerem frases de efeito evangelístico, como “Jesus te ama”, “Jesus Salva”, ou, simplesmente a palavra “Jesus”.
O próprio apóstolo Paulo buscou utilizar todos os meios para anunciar o evangelho, com o qual estava 100% compromissado, quando disse em 1 Co 9.22,23 (leia também os versículos 19 a 21):

“Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para, por todos os meios, chegar a salvar alguns.”

Observe a motivação do pregador ao mencionar o porquê de sua atitude:
“E eu faço isso por causa do evangelho, para ser também participante dele”.

Uma pergunta que me motiva ainda mais é a seguinte: será que, se o apóstolo Paulo estivesse nesta copa ele não estaria mobilizando a igreja para aproveitar a bela oportunidade para divulgar o evangelho de Jesus Cristo? Ou será que ele ficaria, simplesmente, em sua poltrona comendo pipoca e torcendo com braços cruzados, como parasita espiritual sem nada fazer, enquanto o adversário de nossas almas estaria (como de fato está) em plena ação, propondo ações de violência, terrorismo e embriaguês entre os torcedores, como aliás, é seu grande objetivo de “matar, roubar e destruir”, os homens, (João 10.10)?

Meu amado irmão, respeito sua posição, mas continuaremos com esta campanha, sabendo, todavia, que se trata de grande batalha espiritual.

Gostaria de publicar sua resposta no meu blog, se tiver sua permissão.

Em nome de Jesus, ao qual todo joelho se dobrará, Fp 2.10.

Pr Cyro Mello

Acervo Teológico disse...

Olá
Paz do Senhor!
Visitem nosso site!

http://www.institutogamaliel.com

Que o Senhor Jesus vos abençoe abundantemente!